terça-feira, 29 de julho de 2014

Fantástico: Laranjas de Mata Roma Faturam Milhões em Chapadinha

Secretário Aluízio, Paulo Neto e Prefeita Carmem 

Pela proximidade entre os políticos de Mata Roma e Anapurus com a prefeita de Chapadinha Ducilente Belezinha já se esperava alguma relação entre empresas mencionadas pela reportagem do Fantástico que escancarou um escandaloso esquema de firmas laranjas e empresas fantasmas, mas o blog encontrou muito mais do que isso.

Levantamentos na prestação de contas de Chapadinha e no Diário Oficial do Estado apontam que a prefeitura manteve contratos com valor acima de 3,7 milhões de reais com pelo menos duas empresas citadas no Fantástico.

"Dona" da Santa Margarida ao Lado de Paulo Neto
Prédio da Construtora Sta Margarida 


Apareceu a Margarida (R$ 3.216.120,15 em Chapadinha)
A Santa Margarida que o Fantástico desconfiou da capacidade de executar serviços de construção civil por suas modestas instalações e cuja proprietária Rejânia Maria Pinheiro dos Santos, se recusou a falar com a reportagem, ganhou três licitações em Chapadinha. A primeira no valor de R$ 1.487.300,00 para melhoramentos de caminhos de acesso junto a secretaria de obras, em 6 de maio de 2013. Outras duas os recursos seriam fruto de convênios e se referem a perfuração de poços artesianos nos valores de R$ 993.083,33 (em 25 de abril de 2014) e R$ 735.736,82 (na data de 23 de abril de 2014).  



Santa Margarida: Três Licitações no Valor de 3,2 Milhões 


Sem Endereço: Premiada Premier
Se a equipe do Fantástico duvidou da capacidade da Santa Margarida, por funcionar numa casa de porta e janela, imagine o que não diria se soubesse que outra empresa bastante ativa no esquema, a Premier, não funciona no endereço que consta de seu contrato social e notas fiscais. A Premier, que tem como proprietário (ao menos no papel) Javé Ferreira da Costa Lima, que de acordo com o Fantástico seria operário concursado da Caema, aquele que saiu de moto, em disparada para não falar com a reportagem da Globo – foi contratada em 2013 pela prefeitura de Chapadinha, para realizar serviços de meio fios, sarjetas e calcamento pelo valor de R$ 580.000,00.

Javé: Operário/empresário Fugindo do Fantástico

Premier: R$ 580 mil em sarjeta e meio fio


Nossa equipe de reportagem esteve em Mata Roma e percorreu a rua Hildenes Garreto de ponta a ponta e não encontrou a sede da Empresa Premier. O número mais perto do endereço declarado (Hildenes Garreto, nº 01) é 225, que não parece abrigar uma construtora de gabarito.

Rua Hildenes Garreto: Premier Não Encontrada

A Premier seria N° 01 a primeira casa da Rua é a 225



Obras  Onde? 
Apesar de constarem nas prestações de contas, notas de empenho e diários oficiais (no papel) os gastos da prefeitura são alvo de indagações e denúncias. Desde 2013, vereadores, imprensa e entidades sociais indagam onde tais obras foram efetivamente feitas em Chapadinha. No caso das sarjetas e meios fios a prefeitura, em setembro de 2013, chegou a apresentar gasto de R$ 286.680,00 (relembre) e questionada, depois negou, dizendo que os gastos elencados por equívoco como sendo calçamento teriam sido aplicados como roço lateral em estradas do interior (reveja). Vereadores de oposição denunciaram, no período, obras fantasmas e possível ocorrência de notas frias.

Prefeitura Admitiu Ter Pago R$ 1.800.000,00 e Diz Que Vai Cancelar Contratos com Santa Margarida
A prefeitura de Chapadinha, por meio do secretário William Fernandes (Comunicação) assumiu ter gasto R$ 1.800.000,00 com as duas empresas suspeitas, sendo que segundo alegam, os pagamento à Premier foram pouco superior a R$ 100 mil porque o município não teve recursos para pagar os R$ 580.00,00, que o contrato se encerrou em dezembro 2013 e que as obras executadas foram de operação tapa buraco, mas não citou as ruas atendidas.

Sobre a Santa Margarida, a prefeitura diz que ela ganhou licitações normais, aberta a todos e que “à época a empresa não tinha essa conotação e não compete ao município acompanhar e fiscalizar documentos de empresas fora do âmbito da prefeitura”, disse William, em nome do secretário de Obras Aluízio Santos.

Ainda de acordo com a prefeitura poços nas localidades Loloya, Riacho Grande e Barro Branco já foram executados. “Todos os poços estão furados, revestidos e limpos; um deles já está com a estrutura” relatou sem deixar claro se já estariam em funcionamento.  

A prefeitura também declarou já haver determinado cancelamento dos contratos com a Santa Margarida. “Baseada em fatos recentes divulgados no noticiário local e estadual, (a prefeitura) acionou a Controladoria e Assessoria Jurídica e já está terminando o processo de distrato, para abrir nova licitação em busca de nova empresa”, finalizou. 

Um comentário:

Michele Nascimento disse...

Enquanto isso os contratados de Mata Roma e Anapurus estão com um tempo sem receber,só trabalhando sem receber.