segurança

segurança

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Militância Pró-Dilma Se Reúne e Decide Deflagrar Campanha em Chapadinha


Um grupo de militantes se reuniu na sede do Sindchap, na noite de ontem (15), para avaliar o quadro político nacional e para deflagrar uma campanha em favor da reeleição da presidenta Dilma Rousseff em Chapadinha.

Além de filiados a partidos políticos que apoiam Dilma como PT e PC do B, o evento contou com a presença de parlamentares, secretários municipais, sindicalistas, militantes sociais, integrantes do movimento estudantil universitário e de personalidades independentes que apoiam a reeleição da presidenta Dilma.

Nos pronunciamentos, os manifestantes reconheceram a divisão da sociedade brasileira em torno de dois projetos antagônicos: um que retirou milhões de brasileiros da miséria e que fez opção pelos mais pobres em sua agenda de desenvolvimento, representado por Dilma; contra as propostas elitistas e a plataforma conservadora, que ameaçam os avanços populares, encabeçadas por Aécio.


Diante da análise, os movimentos sociais presentes traçaram estratégias e elaboram uma agenda de atividades em defesa da manutenção do projeto popular e pela reeleição de Dilma Rousseff, com ênfase para a divulgação e esclarecimentos quanto as conquistas e programas dos governos Lula e Dilma realizados em Chapadinha, como a instalação da Universidade Federal do Maranhão (Campus IV), o Programa Luz Para Todos (que já atende 90% das casas da Zona Rural), Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida, entre outros.

O primeiro ato da campanha será na noite desta quinta-feira (16), com concentração da militância na Praça do Povo, a partir das 18 horas, seguida de deslocamento de carros e motos para uma reunião no Bairro Mutirão.  

O restante da agenda de atividades será divulgado amanhã durante o evento, nos blogs e redes sociais. 

Um comentário:

tulipa disse...

Estão esquecendo da era da CPMF que ERA pra saúde, mas tbem precisa de CPI porque ate hoje nao sabemos pra onde foi...mas imaginamos....o povo continuou no corredor de hospitais...ou melhor..no corredor da morte