segurança

segurança

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Curso de Medicina: Mensalidade de 7 Mil Reais e Dificuldades de Implantação


Ao noticiar o papel da prefeita Belezinha no esforço pelo curso de medicina em Chapadinha a imprensa governista deixou de mencionar os critérios que em tese tornam improvável a implantação e que a faculdade seria particular, portanto, inacessível para a ampla maioria dos chapadinhenses.

Não Custa Sonhar
Apesar das dificuldades a prefeita fez certo em cumprir as formalidades porque por mais improvável a instalação e excludente o acesso dos estudantes chapadinhenses ao estudo de medicina nestes moldes, um curso de medicina não deixaria de trazer benefícios para a cidade - ainda que muito menos que os divulgados - e, por certo, ela seria cobrada se assim não o fizesse.

Os Critérios
De acordo com o MEC, os municípios interessados em receber as novas vagas de medicina precisam ter número de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) igual ou maior que cinco; número de alunos por equipe de atenção básica menor ou igual a três; leitos de urgência e emergência ou pronto-socorro; aderir ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica; ter centros de atenção psicossocial; e pelo menos três programas de residência médica.

Após a adesão dos municípios interessados, serão realizadas visitas técnicas in loco, entre 11 de maio a 26 de junho, para verificar se a estrutura da rede de saúde atende o mínimo necessário para comportar as atividades práticas do curso de medicina. As cidades escolhidas farão parte do edital de seleção de instituições. Os municípios que não obtiverem conceito satisfatório na verificação presencial serão excluídos do processo ou ficarão em lista de espera até a solução das pendências. O resultado final, após as visitas e avaliações, será divulgado em 31 de julho.

Para tratar com seriedade o tema a prefeitura deveria esclarecer o nível de exigência e o prazo impossível para qualquer correção para não vender ilusão de que a vinda do curso já esteja garantida.

Curso de Medicina Privado: Entre 4 e 7 Mil Reais a Mensalidade
Contra os comentários de que agora os jovens de Chapadinha terão a oportunidade de cursar medicina em seu próprio município, vem a declaração do ministro da saúde Arthur Chioro: “O Ministério da Educação informou nesta quinta-feira (2) que 22 cidades de oito estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste foram pré-selecionadas para receber novos cursos de medicina em instituições particulares por meio do programa Mais Médicos”, diz matéria do Portal G1.

Mensalidade do UNICEUMA Quase 7 Mil Reais 

Só para se ter ideia a mensalidade do curso de medicina do UNICEUMA, em São Luís, custa de RS 6.990,10 e na prática não há FIES, PROUNI ou Bolsa de Estudos. Com este valor, pouquíssimas famílias em Chapadinha poderiam manter seus filhos estudando durante os seis anos de duração do curso.

Educação Pública e de Qualidade
Sem excluir a eventual vinda de faculdade particular, os governos (do município e do estado) deveriam era concentrar seus esforços no modelo de educação pública, trazendo os cursos pela UFMA ou UEMA, lutar pela conclusão do Hospital Regional e que ele seja de 100 leitos e, ainda, estabelecer metas conjuntas pela melhoria dos SUS, não só para atrair curso, mas para garantir atendimento de qualidade para os usuários que continuam sofrendo na rede pública como um todo. 

Nenhum comentário: