segurança

segurança

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Secretários de Belezinha Justificam Uso da Violência e Taxam Policiais de Mentirosos


Sob o comando dos secretários William Fernandes (comunicação) e Aluízio Santos (Obras e Articulação Política) o governo Belezinha parte em defesa do funcionário preso por tentativa de homicídio e 24 horas depois do fato monta uma versão mentirosa e atrapalhada em que tentam negar o que já foi fartamente provado e gerou a prisão em flagrante do funcionário violento que partiu com um facão pra atentar contra a vida de um fotógrafo.

Enquanto Geovane nega haver atentado contra a vida de Juvenal os policiais que o prenderam foram bem claros: “informo que o homicídio não foi consumado devido à chegada da polícia no momento do fato”, diz a polícia militar no documento de prisão em flagrante. Veja imagem abaixo. 


Geovane Pacifista de Facão e Dono da Rua
Além de tentar desqualificar o testemunho dos policiais militares, o mesmo Geovane que não quis falar à reportagem do Alexandre Cunha no momento da prisão, inventa uma versão que o coloca como dono da rua e um pacifista de facão em punho: “fui até eles e perguntei se já tinham batido as fotos. Eles disseram que sim e eu disse que eles podiam ir embora”, disse Geovane se achando no direito de dizer quem pode ou não ficar na rua. “Passados dez minutos, eles (Juvenal e Valter) retornaram, com um carro logo atrás, e eu vi eles fazendo menção de tirar uma arma da cintura. Claro que me preocupei. Corri até a caçamba do carro e peguei um facão pra tentar me defender. O carro que estava logo atrás deles era o da polícia. Quando a polícia chegou perto eu simplesmente entreguei meu facão”, alegou Geovane tentando convencer alguém de que suas vítimas fariam menção de retirar arma da cintura com a polícia logo trás.

De resto a versão publicada pelo Blog do Secretário de Comunicação de Belezinha segue desafiando a inteligência da população, justificando o uso de violência e buscando inocentar um elemento reincidente em confusão (Geovane chegou a tentar agredir o médico Zé Almeida, em usa seção eleitoral).

Argumento do Facão
Já o secretário Aluízio pateticamente se diz contra atos de violência, mas ao invés de lamentar o ocorrido parte em defesa de seu funcionário que foi preso usando um facão contra a imprensa. E chega ao ponto de sugerir que havia pessoas dispostas a resgatar Geovane da delegacia. “Não sou a favor de nenhum tipo de violência. O Geovane estava em seu local de trabalho, à noite, chovendo, quando chegaram estas pessoas lá, agredindo-o, me xingando e xingando a prefeita. Ele revidou e o caso foi parar na delegacia. Rapidamente o fato foi noticiado nos blogs de interesses dessas pessoas e, imediatamente muitas pessoas, revoltadas com os fatos, solidárias com o Geovane, me procuraram em minha residência querendo ir à delegacia. Mas não aprovo isso e fiquei até às duas horas da manhã, tentando conter essas pessoas, para se acalmarem”, disse Aluísio que teria tido a bondade de conter uma possível ação violenta contra a delegacia de polícia.  

O acobertamento ao funcionário pego em flagrante tentativa de homicídio pode incentivar novos atos de violência contra a imprensa livre e adversários da prefeita. Belezinha em todos os gestos segue aplaudindo o uso do facão como argumento político.   

Nenhum comentário: