segurança

segurança

sábado, 13 de junho de 2015

Mídia Sarneísta Distorce Informações Sobre Contrato de Aeronaves


O jornal O Estado do Maranhão distorceu informações sobre o procedimento em curso pelo Governo do Estado para aluguel de aeronaves. Para confundir os leitores, o jornal usou o valor de R$ 13 milhões da ata de registro de preços como se fosse o valor a ser contratado. É de praxe que no edital seja estimado um valor máximo que apresenta grande diferença ao ser realizada a licitação com a concorrência das empresas.

Exemplo do tendenciosismo é que na gestão da ex-governadora Roseana Sarney, sócia do jornal O Estado do Maranhão, o edital considerou base praticamente idêntica de valor e a contratação final saiu por R$ 6,8 milhões. Contudo, diferente do procedimento atual que prevê o pagamento apenas das horas voadas, Roseana pagou valores fixos ao longo do ano para a empresa contratada, independentemente se foram realizados dois ou 30 voos no mês.

Nos últimos quatro anos além dos R$ 24,9 milhões gastos pela Casa Civil com a locação de aeronaves, cujas empresas recebiam mesmo quando os veículos estavam parados, ainda foram feitos contratos em outras secretarias.
O uso indevido ocorria até mesmo na Secretaria de Saúde onde os vôos deveriam ser feitos para atendimento médico. Devido à gravidade do caso, a irregularidade está sendo apurada em auditoria da Secretaria de Estado de Transparência e Controle (STC). Além destes, outros órgãos contrataram empresas de táxi aéreo, como a Secretaria da Coordenação Política e Articulação com Municípios (R$ 5,9 mil) e o Fundo Especial do Meio Ambiente (R$ 28,7 mil).

Essa farra com o dinheiro público está descartada com o novo edital. O transporte de autoridades da administração estadual será realizado pelas duas aeronaves, um jato e um avião de pequeno porte, que estão sendo licitadas pela Casa Civil, isto significa que diferente de anos anteriores não haverá gasto em outras secretarias para esse tipo de função.


Além disso, o jato será pago apenas pelas horas em que for utilizado e o avião terá uma reserva de 30 horas mensais, com um banco de horas para que nos meses em que o tempo não for gasto integralmente ocorra a compensação em horas extras de outros meses.

Do Blog Marrapá

Nenhum comentário: