segurança

segurança

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Belezinha Imita Lidiane em Pagamento de Reformas Fantasmas


Por conta de obras de reformas de escolas pagas e nunca realizadas, até hoje a prefeita de Bom Jardim se esconde da Polícia Federal e se mantém na mídia turbinada por sua beleza alvissareira. Sem risco de repetir o sucesso de Lidiane Leite, nossa prefeita Belezinha também já poderia tá respondendo iguais questionamentos por suspeita de pagar reforma inexistente a firmas supostamente de fachadas, enquanto as escolas que deveriam receber melhorias caem nas cabeças de alunos e professores.
Em matéria anterior o blog denunciou o pagamento de R$ 50.968,40 em reforma da escola Manoel José de Santana enquanto o prédio despenca na cabeça das pessoas, incluindo uma professora que quase cega com o ventilador caindo sobre sua cabeça. Esta página teve acesso às planilhas das obras pagas e não realizadas e fotos de outras escolas na mesma situação da Manoel José de Santana.
Situação do Manoel José de Santana e o Valor Pago em 2014
As Escolas e as Eternas Reformas
A exemplo do que acontece com a escola Almada Lima, que em 2014 teria sido reformada com gasto de R$ 59.381,77 (em 2014) e que agora a prefeitura anuncia gasto de 300 mil reais em nova reforma, as escolas Carolina Mesquita e Nossa Senhora Aparecida foram visitadas por nossa reportagem que constatou a precariedade da estrutura das unidades de ensino.
Carolina Mesquita: Situação e Valor Pago
Carolina Mesquita
A escola Carolina Mesquita, Bairro da Corrente, aparece na prestação de contas do FUNDEB como tendo recebido R$ 48.219,35 em reformas que pelas fotos fica difícil justificar tal gasto. Na planilha aparece gasto de R$ 22.671 ,67 com cobertura (teto) e R$ 22.630,42 com pintura. No aspecto geral a impressão é de que a escola não passa por manutenção há pelo menos 10 anos.
Escola Aparecida / Situação e Valor de Suposta Reforma
Aparecida
Na escola do Bairro Aparecida em contraste com o gasto de R$ 27.786,25 atestado pelos secretários Aluízio Santos (Obras) e Maria Coelho (educação) se observa teto caindo, piso rachado e banheiros desmantelados. De acordo com a planilha os gastos maiores foram 11 mil com o teto e 16 mil em pintura.

Almada Lima 59 mil em 2014 e mais 309 mil em 2015
Almada Lima
A escola Almada Lima ao longo do tempo tem se transformado em campo de ensino e aprendizagem em desviar recursos da educação. Em administrações anteriores a escola recebeu inúmeros convênios do estado e federal para reformas e ampliações hoje objeto de investigação e tomada de contas. Como dito a acima, a escola aparece na prestação de contas de 2014 com R$ 59.381,77 e agora – talvez visando encobrir o esquema anterior – o governo Belezinha divulga nova reforma com gasto de R$ 309.638,15, (veja homologação acima).
R$ 1,5 Milhão em Reformas Fantasmas em 2014/2015
R$ 1.587.900,00 Pagos em 31 Escolas Precárias
Além das escolas Almada Lima, Manoel José de Santana, Aparecida e Carolina Mesquita, outras 27 escolas e creches aparecem como beneficiárias de pagamentos por reformas e manutenção não comprovadas no valor total de R$ 1.587.900,00, pagos R$ 681.640,35 em 2014 e o restante ao longo de 2015, segundo fonte ligada a Educação.  
Prédios das Construtoras de Caxias que Operam para Belezinha
 Delta (acima) e Almada (em baixo)
 As Empresas do Esquema de Caxias

Tanto a empresa que recebeu pelo pagamento dos 1,5 milhão como a contratada para a reforma do Almada Lima fazem parte do que já fui chamado na câmara de Esquema de Caxias. A Delta Projetos é uma empresa de porta e janela em Caxias e a Almada Construções funciona num prédio residencial na mesma cidade, aparentemente sem estrutura para tocar obras relevantes, aumentando a suspeita de desvios de recursos públicos.

Nenhum comentário: