segurança

segurança

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Prefeitura x CEMAR: As Mil Casas e a Avenida da Morte

Foto de Buraco Postada por Moradores das Mil Casas

No dia 11 de setembro este blog noticiou que o morador do Conjunto José de Souza Almeida, as “Mil Casas”, Vitor Hugo Costa Leite denunciou acidente sofrido por sua esposa e filha no trecho da Avenida que liga o bairro ao Centro, relatou a precariedade da Via e afirmou pretender processar a prefeita Belezinha pelo descaso.

Na terça-feira, dia 22, o comerciante Chico Branco sofreu grave acidente na Avenida das Mil Casas, vindo a falecer na madrugada de hoje.

Nas redes sociais Prefeitura de Chapadinha e CEMAR são apontadas por moradores como culpadas por colocar em risco os que utilizam a via. O blog do William Fernandes, que também é secretário de Comunicação da Prefeitura, informa que o comerciante caiu no buraco, mas diz que família pretende processar a CEMAR. “Segundo informações, o comerciante trafegava de moto pela avenida, quando caiu em um buraco que seria de um dos postes retirados pela CEMAR. Em redes sociais, familiares da vítima disseram que o advogado já está movendo uma ação contra a empresa responsável pelo fornecimento de energia na cidade”, diz o blog do secretário William Fernandes, em matéria de hoje.

Nas redes sociais a prefeitura também é incluída nas críticas quanto a demora da obra e como possível responsável pela falta de sinalização do trecho. “O que temia aconteceu, nosso amigo Chico Branco, veio a falecer hoje 2:00 horas da manhã, obra mal planejada dá nisso, será o que o Secretário de Obras tem agora a falar pra família do Chico Branco. Será que ele vai ter coragem de ir no velório?” disse um morador. “Eu acho que já está passando da hora de fazer outra manifestação. Mas dessa vez no centro da cidade, porque aqui ninguém olha pra nós... E interditando a avenida só prejudica os próprios moradores do conjunto, agora no centro todo mundo ia nos ver!”, desabafa outra moradora, por meio do Facebook.

Até o momento a prefeitura nada falou oficialmente sobre o caso.  

Evidente que a responsabilização e o esclarecimento sobre o acidente da última terça-feira, só podem resultar de investigação oficial, perícia e processo judicial. Urgente é a adoção de medidas para que outros acidentes não aconteçam. 

Nenhum comentário: