segurança

segurança

domingo, 10 de abril de 2016

Bagunça e Denúncias de Fraude Marcam Seletivo de Chapadinha

Confusão na Tancredo Neves

Bagunça, candidatos impedidos de fazer prova por falta de cadeiras e denúncias de fraude generalizada marcaram o seletivo de Agentes Comunitários de Saúde realizado pela prefeitura na manhã deste domingo, dia 10.

Na Escola Tancredo Neves, Bairro Corrente, os candidatos não fizeram a prova porque não havia cadeiras para todos e após esperar mais de uma hora por providencias ou explicações foram em grupo à delegacia registrar Boletim de Ocorrência.

Fraude Generalizada
Além da lista com suposto aprovados por influência política que incluiu familiares e correligionários da prefeita Belezinha, foi relatado pessoas fazendo provas com apostilas abertas e utilização generalizada de aparelhos celulares durante o aplicação dos testes.

Candidatos Registrando BO na Delegacia 

Prefeitura Confirma Fraude
Em nota a prefeitura diz ter descoberto possível fraude e responsabiliza candidatos que foram registrar BO. “A confusão em uma das escolas onde seriam realizadas as provas do seletivo para ACS, gerou transtornos para muita gente, mas por outro lado trouxe à tona algumas irregularidades por partes de candidatos”, declarou o secretário de Comunicação William Fernandes.

O secretário de saúde também falou sobre suposta fraude: "está se descobrindo fraudes sim, mas por parte de vários candidatos. Até no boletim de ocorrência tem candidato que se entregou, sem querer, revelando o verdadeiro endereço, quando na verdade, todos deveriam residir no bairro para o qual deve atuar. Quem tiver feito isso, se passar, não vai assumir", disse o secretário de Saúde, Allan Monteles. 

Boletim de Ocorrência


A prefeitura informou – sem citar nomes – que três pessoas teriam impedido a colocação das cadeiras na Escola Tancredo Neves, que a empresa Qualis vai registrar BO contra essas pessoas e tanto prefeitura quanto Qualis pretendem divulgar nota sobre o assunto.

Prefeitura Não Convence
Abaixo das explicações de William Fernandes os candidatos do seletivo e internautas rebateram os argumentos.

“Um erro não justifica outro. Jamais deveriam faltar carteiras no local em que seriam realizadas as provas. Quanto as ilegalidades por partes dos candidatos deverão ser apuradas, mas não podem entrar como argumentos para amenizar os transtornos causados pela desorganização” disse um internauta.  “Nada haver a situação de endereço isso é o mínimo porque só fazia a inscrição quem apresentava o comprovante de residência. Agora vão avaliar o endereço dos participantes pelo B.O que foi feito por aqueles que foram prejudicados?” indagou outra internauta em rede social.

Uso de Celular Durante Aplicação da Prova 

“O que não se pode é tentar minimizar ou excluir a irresponsabilidade e falta de organização da Banca organizadora deste certame. Além da falta de qualificação de alguns fiscais que estavam atuando na escola Tancredo Almeida Neves sem, ao menos, fornecer informações fidedignas aos candidatos” acrescentou um candidato.

Prefeitura Defende Empresa
O vereador Eduardo Braga / PT também ao comentar as explicações oficiais estranhou que a prefeitura tenha de pronto saído em defesa da empresa Qualis. “Acabaram de perder uma boa oportunidade. Ao invés de cobrar da empresa a absoluta falta de organização e de respeito, a prefeitura se coloca contra os inscritos que buscaram seus direitos. É claro que se algum inscrito tiver tentado fazer alguma irregularidade deve ser punido com a exclusão, mas os gestores públicos deveriam estar ao lado público, não da empresa contratada que não cumpriu com suas obrigações” declarou o vereador.


Candidatos devem entrar na justiça pedindo a anulação do seletivo e o assunto vai ser debatido na sessão de amanhã da Câmara Municipal. 

Nenhum comentário: