terça-feira, 13 de novembro de 2018

Presidente do CRM puxa orelha de médicos: “Não se pode agir em nome de todos anonimamente”



O presidente do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA), Abdon Murad, puxou a orelha dos médicos que prestam serviços ao Governo.
Em nota, o presidente do CRM disse que “não se pode agir em nome de todos os médicos anonimamente”.
Abdon repudiou nota assinada por “médicos do Maranhão” sobre uma possível paralisação por falta de pagamento.
Ele afirmou que terá reunião amanhã com o secretário de saúde, Carlos Lula, para acabar com todas as distorções que estão existindo.

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Projeto Minicurso de Libras chega às Escolas do Campo em Chapadinha



O projeto "Vamos Aprender Libras" é ofertado gratuitamente pela Prefeitura de Chapadinha por meio da Secretaria de Educação aos alunos da rede municipal de ensino e trata-se de minicurso básico da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Essa é uma ação inédita na região que está sendo realizado pela equipe da Educação Especial, que vem sendo coordenado pela Dra. Kelsianne Aguiar. Depois de ser realizado nas 32 escolas da zona urbana, o projeto "Vamos aprender Libras" começa a chegar para os alunos matriculados nas escolas do campo. Às escolas situadas nas localidades Riacho Fundo e Baturité foram as primeiras a participar dessa iniciativa que se estenderá às 105 escolas do campo.

O objetivo da iniciativa de acordo com a secretária de educação professora Vânia Cristina, é melhorar a comunicação entre a comunidade escolar de uma forma geral e as pessoas com deficiência auditiva, para que haja a inclusão efetiva de todos no processo educacional desses estudantes.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Magno: a Reforma Administrativa que Urge e a Lealdade que lhe é Devida



Sem retirar a importância das últimas eleições – que ainda serão assunto do blog – precisamos falar mais de política administrativa e de gestão a começar pela esfera municipal.

Neste sentido não há dúvida que o momento do governo é bem melhor que uns meses atrás: Magno enfrenta a mais grave crise nacional dos últimos tempos reformando o HAPA, tocando a obra da Rodoviária, asfaltando diversas ruas em diferentes bairros, segue mantendo a folha em dia, ampliando direitos como as 13 horas e evitando o flagelo das demissões que ocorrem em várias prefeituras.

Mas, em contraste com o esforço quase solitário do prefeito, existe uma espécie de apatia geral de aliados e até de destacados quadros da própria cúpula do poder. Parte significativa de seu grupo se omite ou ajuda a falar mal da administração que faz parte.

O remédio para esse marasmo de parte do estafe governista, em busca do bem comum que confere sentido ao trabalho no setor público, não é outro senão uma profunda reflexão do papel e do compromisso de cada um, sucedida de uma ampla reforma administrativa. Na minha modesta opinião é hora de uma sacudida em gestores, diretores e secretários que deveriam, sem exceção, colocar cargos à disposição do prefeito deixando-o a vontade para fazer as alterações necessárias.   

Como quem esteve ao lado de Magno em vitórias e derrotas do ano 2000 até aqui, penso que posso me dirigir publicamente ao líder político cujo carisma e capacidade de embate eleitoral são reconhecidos até por adversários, para alertar do perigo de sua tolerância até para com àqueles que não têm sido corretos com ele.

Avançamos muito e podemos melhorar ainda mais. Mantendo o ritmo atual, vamos encerrar o governo com o saldo positivo, com comparações pra lá de favoráveis e com um legado digno defesa de quem tenha a decência de ter lealdade.

Crise nacional faz Maranhão perder mais de R$ 1,5 bi em repasses federais



A crise econômica que o Brasil tem atravessado está impactando nas contas dos estados. O Maranhão, por exemplo, perdeu mais de R$ 1,5 bilhão em repasses federais.
Em 2016, somente o Fundo de Participação dos Estados (FPE) caiu R$ 475 milhões em relação a 2015.
Já em 2017 houve queda de 7,6% no valor real da receita transferida para Estados e também para os municípios.
Em 2018, a diminuição de repasses entre janeiro e setembro é de 6,5%.
Na somatória dos quatro anos de gestão Flávio Dino, a estimativa é encerar 2018 com R$ 1,5 bilhão a menos em repasses federais.
Para um estado que depende desse tipo de recurso, a crise é ainda mais severa. Mesmo assim o atual governo continua honrando seus compromissos e investindo.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Prefeitura Retoma Asfaltamento de Ruas de Chapadinha



A Prefeitura de Chapadinha através da Secretaria de Obras retomou a frente de execução dos trabalhos de pavimentação asfáltica em ruas de diferentes bairros.

Ao todo serão 1.080 metros de asfalto no Campo Velho, Mutirão e no Centro. De forma linear serão pavimentados 150 metros da rua 09, 700 metros na rua Raimundo Araújo e 230 metros na rua Francisco Ribeiro de Aguiar.

A ação faz parte de uma série de melhorias que vem sendo executada com vistas a garantir melhor trafegabilidade e mobilidade nas vias da cidade.

“Os serviços começaram e estamos acompanhando sua execução atendendo a uma determinação do prefeito Magno Bacelar de que a ação fosse colocada como prioridade. Estamos levando cidadania para a população de Chapadinha” disse o secretário Nick Macklewere.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Flávio Dino convida população para sua posse no dia 1º de Janeiro



O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) usou suas redes sociais para convidar a população para participar de sua posse no dia 1º de janeiro de 2019.
“Convido a todos para a nossa posse no governo do Maranhão. Dia 1º de janeiro, 16h. Vai ser bonita, repleta de esperança e de compromissos com a Constituição e com a justiça social. Bem diferente de uma outra que vai acontecer na mesma data em Brasília”, escreveu Flávio Dino.
Advogado, professor universitário, ex-juiz federal, ex-deputado e ex-presidente da Embratur, Flávio Dino foi eleito governador do Maranhão em 2014 e reeleito em 2018 com 1.867.396 mil votos.