Publicidade

Publicidade

sábado, 23 de julho de 2016

Belezinha Nomeia Novo Juiz, Delegado e Promotor


Manin Leal caminha para ser derrotado por Alberto Rocha em Santa Quitéria


Do Blog do Minard
Em Santa Quitéria do Maranhão, distante 360 km da capital do Estado, as últimas pesquisas apontam uma larga vantagem do candidato Alberto Rocha ao cargo majoritário do executivo municipal.
A supremacia eleitoral de Alberto Rocha se deve principalmente ao alto índice de rejeição de seu opositor, Manin Leal, que ao longo de duas décadas à frente do município de Santa Quitéria, conseguiu transformar a cidade em uma das mais pobres do Brasil, com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) igual ou inferior ao de muitos países do continente africano.
Atualmente o prefeito da cidade é o incapaz Sebastião Moreira – vítima de um AVC – mas quem administra de fato o município é Manin Leal.
Problemas recorrentes na educação, saúde, infraestrutura, segurança, saneamento básico, atrasos nos pagamentos das remunerações dos servidores chegam há cinco meses, perseguições políticas, entre outros fatores, fazem com que Manin Leal tenha o maior índice de rejeição político-eleitoral de todos os tempos no município.
Em relação ao atraso dos pagamentos do servidores, muitas famílias quiterienses estão passando fome por não ter dinheiro sequer para comprar alimentos para a própria subsistência. Além disso, muitos comércios estão amargando a pior crise dos últimos tempos por conta da falta de dinheiro circulando na cidade.
Enquanto falta dinheiro para os quiterienses, Manin Leal e a família dele ostentam com a compra de imóveis em regiões valorizadas de São Luís, carros de luxo, viagens, joias e outros…
Por conta disso, Manin conseguiu transferir o seu alto índice de rejeição para a sua candidata à prefeitura de Santa Quitéria, a esposa dele Ivanice Leal.
A vitória do candidato Alberto Rocha já está sendo considerada pela maioria das lideranças políticas de Santa Quitéria e pelas últimas pesquisas realizadas no município, que deverá se concretizar no início de outubro.

Depois de eleito, Alberto terá a missão/obrigação de administrar a cidade com transparência, com uma gestão eficiente, maior distribuição de renda e acabar com os desvios de recursos que ocorrem grosseiramente no município há 20 anos.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Ainda Há Juízes em Chapadinha e em Berlim


A chamada deste texto que adaptei do conto “O Moleiro de Sans-Souci” (de François Andrieux) cai como luva para a Chapadinha destes dias. Resumidamente a estória relata o drama de um moleiro que tinha o seu moinho nas cercanias de um palácio cujo rei não queria o plebeu como vizinho. O súdito se opôs à ordem e o soberano da Prússia quis saber o porquê da resistência. Foi quando o moendeiro disse-lhe a frase: “ainda há juízes em Berlim”, acreditando na justiça e em algum homem com honradez e poder de julgar colocando-o em igualdade até com o Rei.

A Chapadinha real de 2016 imita a literatura alemã dos idos de 1700 quando uma prefeita com rompantes de rainha medieval avança sobre imóveis de cidadãos comuns contando com a passividade destes e com o subjugo da justiça.   

Nos castelos de sonhos da gestora municipal – além do delírio de querer nomear delegados, promotores e magistrados – todas as leis deveriam lhe autorizar a fazer o que bem entender, seja com o patrimônio público ou com a propriedade dos outros.

Colocado em seu devido lugar o discurso de Belezinha não foi mais que provocação arrogante contra a justa limitação de seu poder, desagrado prepotente à observância da lei e lamurias visíveis de seu despreparo para a vida pública.


Na arquibancada dos acontecimentos, mas conscientes de seus direitos, os moleiros de Chapadinha não esperam outra coisa do judiciário além de equilíbrio para que não recaia em armadilhas e firmeza para que não incida em omissão.  

Julgo Sim!


Por: Eduardo Braga – Jornalista  

Nessas horas, sempre aparece o pessoal pra dizer que nós não podemos julgar os outros, que cada pessoa é diferente, que a gente tem que respeitar e não sei o que. Eu não consigo! Julgo mesmo e julgo com rigor qualquer pessoa que, não tendo relação direta com o caso, tenha coragem de apontar o dedo e crucificar essa criança.

Uma empregada doméstica de 14 anos, vinda da zona rural, que engravida e não sabe lidar com a situação. Pronto, a internet vai a loucura para apedrejá-la.

Em nenhum dos comentários dos inquisidores virtuais vejo alguma consideração sobre o pai do bebê, sobre a família da moça, sobre a falta de educação sexual, sobre o tabu em torno dos métodos contraceptivos, sobre a falta de informação, sobre o controle estatal sobre os corpos das mulheres, sobre depressão pós-parto, sobre a burocracia para doar e adotar. Não, nada disso.

Pessoas em condições de vida muito mais favoráveis que a dela se sentem a vontade para julgá-la sem conhecê-la e saber das suas circunstâncias.

Houve até quem misteriosamente tenha conseguido entrar na cabeça da moça para escrever que ela agiu com frieza, sem remorso e tranquilamente.

Faltou dizer que fez por diversão, talvez seja um hobby. Francamente!

As pessoas precisam sair um pouco de dentro de si e enxergar o mundo ao redor. Nós somos nós e as nossas circunstâncias. Uma criança de 14 anos jamais deveria estar na situação que essa menina esteve. Engravidar, ficar sozinha, trabalhando, sem condição de ter e criar a criança, sem acesso ao direito de decisão sobre seu ciclo reprodutivo.

Não pode ser pintada como vilã por errar uma menina a quem não se deu a chance de acertar. Nós, sociedade, precisamos proteger, educar e dar oportunidade às crianças e aos adolescentes para que nunca mais uma menina se encontre na situação desesperadora que essa teve que enfrentar sozinha.

Num país onde mais de 20% dos partos no SUS são de mulheres até 19 anos, ainda há quem queira se fechar no julgamento da conduta individual desta ou daquela moça (e nunca dos moços) ao invés de enxergar os problemas estruturais que nos levam a repetidas manchetes como esta.


Palmas de pé apenas para o casal que se dispôs a adotar o bebê. A humanidade desses dois é um exemplo a ser seguido. Aos demais, guardem suas pedras, envergonhem-se por julgar sumariamente, reflitam mais sobre os valores que carregam em si, sobre a falta de empatia e compaixão. E a todos nós, muita reflexão sobre as razões de tragédias como essa se repetirem e nada ser mudado para evitá-las.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Áudio: Belezinha Critica Juiz e Acusa Empresário de Extorsão


Em um dos discursos proferidos durante o evento político de sua pré-candidatura a prefeita Belezinha criticou a atuação do judiciário, lamentou que autoridades como delegado, promotor e juiz não sejam subordinados ao poder dos políticos e acusa o juiz de Chapadinha de obstruir a construção da rodoviária.

Em determinado momento de sua fala Belezinha lamenta a autonomia da polícia, do ministério público e do poder judiciário. “Hoje a política tá muito judicializada. Antigamente um prefeito tirava delegado e botava, tirava juiz e botava, botava promotor e tirava. Hoje prefeito vive se acocando, se acocando mesmo falando numa linguagem bem popular. Quando se recebe um ofício de um promotor, dum juiz ou de delegado a gente já anda se tremendo”, disse a prefeita. “Antigamente a política mandava nestes órgãos, hoje a política está ai judicializada. Qualquer coisinha prende, qualquer coisinha (termo inaudível) como aconteceu isso ontem com a gente, com a entrada da cidade”, completou Belezinha.

Em outro trecho Belezinha afirma ter reagido à intervenção de um oficial de justiça com críticas ao juiz que teria embargado a obra da entrada da cidade em favor dos proprietários de imóveis que entraram com processo contra a prefeitura. “Ele (o juiz) deu quinze dias pra fazer esse muro (de contenção para proteger um imóvel) eu disse para o oficial de justiça, rapaz o juiz não quer que eu faça nem a rodoviária”, reclamou Belezinha que seguiu contestando a atuação do magistrado em outro o processo, o da desapropriação de um terreno do vereador de oposição Eduardo Sá que a gestora também terminou derrotada.

Belezinha intercala suas reclamações contra o judiciário com denúncias ainda mais pesadas contra proprietários de imóveis da área da entrada da cidade, sugere utilização política do problema pelo deputado Levi Pontes e acusa um empresário local de tentar extorquir dinheiro da prefeitura.

O áudio publicado pelo blog é apenas um pequeno trecho do discurso da prefeita Belezinha que durou 33 minutos e 52 segundos e cujo inteiro teor se encontra à disposição da justiça ou de qualquer leitor do blog que tenha interesse em ouvir a íntegra.     


Veja o Vídeo


Belezinha e Aluísio Ameaçam Processar quem Compartilhar Áudio que Ainda nem Vazou


Preventivamente o secretário Aluísio e a mídia do governo passaram a ameaçar quem vier a reproduzir determinado áudio que até agora não se sabe o conteúdo. Certeza mesmo é o pânico que a possibilidade do vazamento tem causando em Belezinha, Aluísio e seus apoiadores.

A ameaça de processo saiu nos principais blogs ligados ao governo. “Após a realização de análises, constatou-se que o material (áudio) apresenta interrupções detectáveis no fluxo de sua gravação, que permite perceber que se trata de edição no material. O grande problema é que internautas estão repercutindo os áudios através de compartilhamentos e responderão por processos criminais que poderá resultar em prisões. Portanto fique em alerta e denuncie! Não participe do golpe baixo da oposição!”, disseram os blogs governistas.

O editor desta página procurou as gravações nas dezenas de grupos de whatsapp que participa e não encontrou nem sinal delas. Nas redes sociais a pergunta do momento é: “o que tem nestes tais áudios que tanto apavora Belezinha?”. No que respondo: tô tentando descobrir!  

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Magno e Belezinha Confirmam Convenções para Dia 5 de Agosto


Os candidatos Magno Bacelar e Ducilene Belezinha resolveram bater de frente até na data escolhida para a realização das convenções partidárias. Magno e Belezinha anunciaram que farão convenção no último dia de prazo que é a sexta-feira, dia 5 de agosto.

Enquanto Belezinha homologará sua candidatura na casa do secretário Aluísio Santos, que é conjugada à residência da prefeita; Magno fará o lançamento oficial de seu nome no Aldeota Clube. Os dois eventos acontecerão na parte da tarde. 

Dentre os demais pré-candidatos, a vice-prefeita Raimunda Maria ainda não divulgou data nem local de sua convenção e o ex-deputado Talvane Hortegal ainda tenta superar o entrave jurídico provocado pela não apresentação de suas contas de campanha de 2014.