quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Áudio do Dr. Levi: Data, Quem Falava com Ele e os Alvos


 

Igual carreata, santinho e compra de voto, se tem uma coisa que é certeza ter em eleição é áudio do polêmico do Dr. Levi Pontes. Desta vez quem vazou o áudio foi a ex-prefeita Danúbia Carneiro em resposta a ataques do vice-prefeito contra o ex-prefeito Dr. Magno.

Enquanto a internet pega fogo com divulgação dos áudios, fomos atrás de algumas informações que precisam ser acrescentadas ao conteúdo dos áudios vazados.

Qual a Data do Áudio?

De acordo com levantamento do blog, o áudio deve ter sido gravado entre 3 a 4 meses atrás, antes da adesão de Levi a Aluízio, quando o vice andava reclamando de Belezinha e Aluízio e jurava não aceitar Josimar de Maranhãozinho.

Quem Falava com Levi?

Pelo que se extrai, Levi conversa entre outras pessoas pelo menos um parlamentar, já que diz que a esposa e seus outros dois vereadores que ele teria controle estavam orientados a elogiar fala de colegas vereadores. 

O Conteúdo das Falas...

Os trechos vazados do áudio têm como alvos Belezinha e Aluízio, que não davam bola pra ele Levi, aos quais ele iria fazer oposição inclusiva com uma emissora de TV que diz haver comprado. Higor também é citado e avaliado como idiota, arrogante e teve insinuações sobre sua vida particular.

Alguns trechos e informações complementares serão tema das próximas postagens.  

Veja o vídeo abaixo, com os Àudios 



A História do Blogueiro da Prefeitura que Disse Não ao Aluízio


 

Não creio que no futuro façam músicas ou escrevam livros sobre blogueiros, incluindo este que vos escreve, mas há histórias que merecem registro, uma delas é o surpreendente caso do blogueiro da prefeitura que disse não ao “princeso” Aluízio Santos.

O escriba foi chamado a declarar voto ao candidato da prefeita e deu um retumbante não como resposta. Ele já tinha compromisso com outra candidata e não se via obrigado a seguir a ordem geral de apoiar o candidato do governo.

Além de confirmar o ditado “de onde se menos espera é que saem as coisas”, o caso me encheu de fé na humanidade, no sentido de que nem é preciso ser herói para fazer valer seu direito de escolha.

Só não digo o nome do paladino para não antecipar sua demissão marcada para depois do dia 2 de outubro. Não sei se lhe serve de consolo, mas (ao que se sabe) ele terá companhia de pelo menos um secretário importante e (com certeza) de centenas de contratados com prazo de validade que não vai além da mesma data.

quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Após Infração de Trânsito: Advogado é Jogado em Camburão por Guardas Municipais e PMs


 

O advogado Oberdan Galvão foi conduzido a força e jogado em camburão por policiais militares e guardas municipais no início da noite de ontem, 20 setembro, segundo informações uma infração de transito teria iniciado a ocorrência. (veja vídeo abaixo)

De acordo com o que se entende pelo vídeo, o advogado teria estacionado o veículo em local não permitido e, apesar de haver se disponibilizado a retira-lo imediatamente, foi multado e teria se recusado, depois disso, a retirar o carro do local.

Ainda segundo relatos a ocorrência envolvia inicialmente a Guarda Municipal, que – após um desentendimento entre o advogado e Guarda que estaria filmando a ocorrência – a PM foi chamada para efetuar a prisão do advogado, que foi colocado a força na viatura policial.

Entre policiais militares e guarda municipais a ação teria envolvido mais de 10 homens.   

Em resposta, também conforme informações, a seccional da OAB de Chapadinha mandou uma comissão à delegacia para acompanhar o fato e estuda representar contra os agentes da GCM e PM.

Nossa reportagem mandou mensagem para o advogado Oberdan Galvão, para o secretário municipal de segurança Netinho Gedeão, que nada responderam até aqui.

Já o comandante da PM Coronel Jaldemir Santos, mandou o seguinte relato: “Comunico- vos, que na data, horário e local acima citados fomos informados via rádio que a guarda municipal estava pedindo apoio para a condução de um cidadão que havia desacatado os mesmos, além de ter quebrado o celular de um dos agentes. Que ao chegar ao local, o autor foi convidado a ir para delegacia prestar esclarecimentos, que neste momento autor falou em alto e bom som que só sairia de lá com uso da força.  E após várias tentativas sem sucesso fomos obrigados a exercer o uso progressivo da força. Que o mesmo resistiu e foi usada a força proporcional para conduzir na viatura. O mesmo foi levado no xadrez por estar muito exaltado e foi dessa forma também para resguardar a integridade física da guarnição. Que em seguida foi levado a DPC de Chapadinha- MA para as devidas providências. Que foi entregue com uma lesão no pé direito e na mão esquerda. Que o autor desacatou a GU da polícia militar também e desobedeceu às ordens emanadas”.

Os vídeos foram conseguidos junto a particulares, enviados pela Polícia Militar e juntados em sequência conforme os relatos e de acordo com a análise que foi possível fazer.   

Vídeo com a Sequência dos Fatos



Fundo Eleitoral x Fundo de Cuecas e Calcinhas de Prefeituras


A divulgação do fundo eleitoral de 900 mil reais do Higor e, posteriormente, de 903 mil do Aldy Júnior, repercutiu como não poderia ser diferente. É legitimo eleitores, comunicadores e sociedade em geral formarem opinião sobre se o valor é elevado demais ou não, mais necessário ainda é acompanhar a prestação de contas, já que são recursos públicos e os repasse foram regularizados pelo Congresso Nacional.

Mas a excitação de alguns sobre os repasses do Fundão Eleitoral tem o objetivo malandro de esconder gastos - estes sim - ilegais e inconfessáveis de alguns candidatos. Vejamos abaixo.

Pegando como exemplo as contas do candidato da prefeitura Aluízio Santos, com uma megaestrutura de campanha, espalhada por vários municípios, só em Chapadinha tem volume de campanha de prefeito e quando se vai ver os gastos informados aparece 117 de mil de despesas contratadas e 88 mil em arrecadação, tendo entre os contribuintes a prefeita e alguns vereadores.

Basta olhar para a cara da campanha luxuosa do candidato da prefeitura para constatar que os números não batem com a realidade. 80 mil senhores não é a despesa da gasolina das motos de uma carreata.

Enquanto querem que você se distraia com o Fundo Eleitoral, tem candidato suspeito de raspar tudo dos fundos de cuecas e calcinhas das prefeituras. E não é só aqui não, viu... 

 

Higor: Um Socialista Bolsominion


Mesmo filiado ao Partido Socialista Brasileiro desde 2020, o candidato Higor Almeida foge da pergunta quanto a seu voto e apoio para presidente da república. Em sua última entrevista, na Rádio Mirante, ele disse que depois declararia seu voto para presidente.

Em meios a muitas desconfianças de que ele seja um bolsonarista convicto e filiado ao Partido Socialista apenas por conveniência, a suspeita agora aumenta com a divulgação de foto que o próprio candidato tentou esconder retirando de seu perfil do instagram, mas que foi “printada” antes de ser deletada.

Na imagem Higor está de camisa verde amarela com a palavra Brasil ao lado do empresário Denilson Lira. Até aí, nada demais, poderia ser jogo da seleção. Ocorre que o blog confirmou a informação de que o local era o primeiro andar do restaurante Tia Sô e o evento que terminara de acontecer, na data de 2019, era em apoio ao presidente Bolsonaro.  

Procurado por nossa reportagem, Higor reconheceu a foto, mas negou que a ocasião fosse em apoio a Bolsonaro. “Não fui pra evento de Bolsonaro, recebi a camisa do dono do restaurante e tirei a foto”, declarou. “A camisa não faz alusão ao 17. Não votei nele. Não fiz campanha pra ele, Deus livre”, declarou Higor.

Apesar das negativas de Higor, três pessoas que estavam presentes ao evento, o empresário Denilson Lira, o ex-vereador Neto Pontes e o organizador do ato Capitão Eurico, confirmaram a presença de Higor na manifestação. Indagado sobre a foto em que aparece ao lado de Higor, Denilson Lira lembrou da ocasião: “Isso é de 2019 e ele (Higor) tava lá no evento pró Bolsonaro na Praça do Povo”, confirmou o empresário.

Já o Capitão Eurico declarou que além de estar presente Higor discursou na manifestação. “Presente entre os convidados, Higor Almeida, que fez rápido uso da palavra, após hasteamento e canto do Hino Nacional, declarou. “Logo em seguida reunimos no primeiro andar restaurante Tia Sô, conforme a foto enviado do Higor e Denilson”, concluiu o capitão.

Se diante da foto e dos relatos confirmando sua participação ainda resta alguma dúvida de sua inclinação para o bolsonarismo, Higor poderia ter confirmado o apoio que deu no passado e se definir como mais um entre tantos bolsonaristas arrependidos, mas preferiu não assumir nada, deixando a dúvida que talvez desagrade a todos evolvidos na tal polarização.


terça-feira, 20 de setembro de 2022

Nem Higor nem Rafael: Isaías Consegue Asfalto para Vila Isamara


 

Não foi Higor, nem Rafael, nem foi no Bairro da Cruz. O asfalto que o governo do estado prometeu está sendo colocado na Vila Isamara a pedido do ex-prefeito Isaias.

Na briga entre Higor e Belezinha quem ganhou foi Isaías e quem perdeu foi o Bairro da Cruz. Segundo informações, desta vez o governo estadual cumpriu os trâmites e obteve autorização da prefeitura para asfaltar ruas da Vila Isamara.

Não se sabe se os moradores do Bairro da Cruz também receberão ou não o asfalto prometido por Higor e Rafael.   

Sobrinho de Brandão no Enredo de Crime de Morte Motivada por Corrupção


 

Primeiro foi a notícia de um assassinato em um edifício comercial em São Luís, depois se soube que o vereador Beto Castro estava no local, em seguida soubemos que o crime tinha relação com negociação pela liberação de pagamento da Secretaria Estadual de Educação para empresa de vigilância no valor de 778 mil reais, nos depoimentos sobre o crime foi levantada a hipótese de pagamentos de propina e, mais recentemente, veio à tona que Daniel Brandão, sobrinho do governador, estava no local, na mesma mesa e dialogando com o vereador, com a vítima e com o assassino.

Depois da repercussão o vereador Beto Castro pediu licença do mandato e o sobrinho do governador que era secretário de estado, foi afastado do cargo.

Mesmo diante de tais fatos, o sobrinho Daniel Brandão não confirmou nem negou presença no local e nada falou sobre o ocorrido, tampouco o tio Brandão se pronunciou.

O conjunto da obra exige que o Ministério Público assuma o caso, que deve ser devidamente esclarecido o quanto antes para confirmar ou afastar a relação de crime de morte, tráfico de influência e pagamento de propina com alguém tão próximo do governador Carlos Brandão.