segurança

segurança

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Telhado e Portas: Prefeitura Paga por Reforma Fantasma na Aldalina Machado

Janela da Escola Aldalina Incluída na Reforma


Como resposta à crise da Escola Aldalina Machado a prefeita Belezinha demitiu a diretora, nomeou novos gestores e manteve o mais profundo silêncio sobre o caso. Em meio a rumores de desvios de recursos da Caixa Escolar e Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE que beiram a 100 mil reais e notórios indícios de desvio de dinheiro de reforma não realizada – como veremos adiante – a diretora foi escolhida como bode expiatório e deve pagar sozinho por erros que não seriam só dela.

Se desde as denúncias sobre o “Mais Educação” se sabe que as diretoras não têm autonomia para gerir os recursos que vêm pra cada escola – o que evidencia que a ex-diretora Lidiane Aguiar pode complicar muita gente se resolver falar  agora, o blog teve acesso a documentos da Secretaria Municipal de Educação pagando R$ 33.906,71 por obra supostamente não realizada.


Situação do Telhado (acima) e Planilha com Gasto de 13 mil com Teto

De acordo com o que atesta a prefeitura, a escola passou por reforma entre fevereiro e maio de 2014. Na planilha que a prefeitura jura que a obra foi realizada tem, no item 1.5 (cobertura), o gasto de R$ 13.014,85, em telhas de cerâmica, que contrastam com o estado lastimável do teto em foto mandada por alunos.

2 mil Pagos por Portas como Esta 

Também na contra mão da realidade mostrada em fotos, a prefeitura diz que gastou R$ 2.0008,76 (item 1.3) em portas e janelas e R$ 18.0008,14 (item 1.13) com pintura. Nas imagens nota-se que faz muito tempo que o colégio não ver uma demão de cal e as portas e janelas estão dispensam comentários.

18 mil com Pintura e a Estado das Paredes

Planilha: 33 mil por obras não realizadas 

O total da verba destinada às escolas recebe o nome de Serviços Prestados na Manutenção Predial Continuada nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Chapadinha, custou ao todo R$ 1.587.900,00, incluiu 31 unidades de ensino e foi tocada pela Delta Projetos e Construções de Caxias, empresa que tem todos os sinais de ser laranja.

1,5 Milhão Seria o Total Pago por Obras Fantasmas


Outras Escolas
Além da Aldalina Machado, as escolas Almada Lima, Nossa Senhora Aparecida e Manoel José de Santana também foram denunciadas pelo blog, com base em documentos e planilhas, como integrantes da lista de escolas que “passaram” por reformas pagas, porém inexistentes. Reveja aqui.

Controladoria Autoriza Pagamento por Obras Fantasma


Atestado Suspeitos
Para efetivar os pagamentos a legislação exige que alguém confirme oficialmente a realização das obras, no caso de Chapadinha – apesar dos fortes indícios em contrário – os engenheiros da prefeitura e Controladoria Geral do Município, atestam por meio de documentos a realização das melhorias que não se comprovam. “Abrigam os presentes autos do Pregão Presencial Nº 042/2013, cujo objeto é a medição dos serviços de Manutenção Predial continuada em escolas da Rede Municipal de Ensino do Município de Chapadinha. Autorizo o pagamento à empresa DELTA PROJETOS E CONSTRUÇÕES LTDA, no valor de R$ 681.640,35 referente à nota fiscal NFS-e Nº 28”, diz o então controlador Antonio Guedes de Paiva Neto.

Obras Fantasmas, Desvios Reais
Com uma empresa com todas as aparências de ser de fachada, planilhas atestando serviços notoriamente não executados e escolas cujo abandono salta aos olhos, não há como não desconfiar que estes 1.587.900,00, tenha ido direto para a boca do funil de Belezinha. Com a palavra os órgãos de fiscalização.    
       


Nenhum comentário: