segurança

segurança

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Chapadinha: Eleição de 2016 Será Briga de "Cachorro Grande"


Pra começar entender o momento da política de Chapadinha e analisar os cenários para 2016, dois pontos são essenciais para início de conversa: reconhecer a força natural do grupo que ocupa a prefeitura e que divididas as oposições tendem a facilitar a vida de Belezinha. Anotei alguns tópicos que lanço agora ao debate.

Rejeição de Belezinha
A rejeição da prefeita é enorme, porém, nada é imutável em política. Três motivos principais têm inflacionado a rejeição de Belezinha: a traição ao líder Isaías a quem deve a vitória de 2012 e que foi impiedosamente expulso do governo logo no início da gestão; o péssimo relacionamento com os servidores, sobretudo os da educação que receberam 3 abonos no governo passado e neste têm direitos garantidos por lei federal negados; e a pecha de realizar o famoso governo funil, com farta documentação mostrando suas empresas como fornecedoras da prefeitura, filhas recebendo sem trabalhar e morando em São Luís, o comércio se ressentindo desde de 2013 da falta de dinheiro circulando  e outras coisas.

Belezinha no Jogo
Apesar de elevadíssima a desaprovação de Belezinha não significa que ela seja carta fora do baralho. O governo municipal conta com orçamento que no ano passado ficou em torno de 150 milhões, prepara um pacote de obras de véspera de eleição e já coopta antigos opositores sem o menor pudor e sem pensar nem na reputação dos “adquiridos”.

Aposta em 3 Concorrentes
Outra aposta de Belezinha é no lançamento de pelos menos outros três candidatos pelos grupos de oposição representados por Magno/Danúbia, Paulo Neto/ Isaías / Talvane e pela ala que segue a liderança do deputado Levi Pontes.  A fragilidade do desejo de Belezinha é que (em tese) basta a união de duas destas três alas políticas para conferir favoritismo ao candidato apresentado por tal aliança.

Briga de Cachorro Grande
Apesar do papo de democracia e da legitimidade das pretensões, a verdade é que a disputa para prefeito de Chapadinha em 2016 será “briga de cachorro grande" como se diz na gíria. Pré-candidaturas de pessoas honestas, honradas e com a intensão de ajudar suas agremiações políticas surgirão e sairão de cena naturalmente pela dureza do processo que deve, ao fim, apresentar à disputa nomes mais robustos como os atuais detentores de mandato a própria Belezinha, os deputados Paulo Neto e Levi Pontes ou os ex-prefeitos Magno Bacelar, Isaías Fortes, Danúbia Carneiro e ainda o ex-deputado Talvane Hortegal.  

2 comentários:

Herbert Lago Castelo Branco disse...

Meu amigo Alexandre, na sua análise para se entender o momento político de Chapadinha para as eleições de 2016 você não menciona o PCdoB que é o partido do Governado e que pretende eleger prefeitos e vereadores. Informo-lhe que o PCdoB está discutindo e vai colocar candidatura própria, tem bons nomes, inclusive eu já manifestei no partido o meu nome como pré-candidato. Por isso, nenhuma candidatura sairá sem antes passar pelo PCdoB e sem o avão do partido.

Herbert Lago Casteo Brnaco

Alexandre Pinheiro disse...

Nenhuma candidatura do PC do B sairá sem aval do partido, lógico que você fala do partido PC do B. Eu sei que vários partidos ensaiam candidaturas, mas por enquanto considero viáveis as citadas no post. Pode ser que mude com algum dado novo.