segunda-feira, 30 de abril de 2012

Eleições 2012: PT de Chapadinha Desiste de Candidatura Própria


Por: Eduardo Braga - Jornalista 

Em respeito às regras estatutárias e o Regulamento de Encontros e Prévias 2012 do partido, o PT de Chapadinha realizou ontem, na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) o seu Encontro de Tática Eleitoral.

Atingido o quorum regimental, o secretário de articulação política, Juvenal Neres, e o militante Chico da Cohab informaram a inviabilidade da pré-candidatura da Dra. Doracy Reis por entraves jurídicos no seu processo de aposentadoria. "A presença dela elevou o nível do debate político na cidade, mas ainda não será em 2012 que nós poderemos contar com ela como candidata", lamentou Juvenal.

O presidente do diretório municipal, Francisco Paiva, também lamentou a retirada do nome de Doracy. "Ela vinha agregando apoios dentro e fora do partido. Seria uma candidatura com chances reais de vitória", afirmou.

Diante a circunstância, o partido decidiu retirar a candidatura própria que vinha sendo discutida internamente, mas mantêm a disposição de estar presente em uma das chapas majoritárias da disputa. "Se nós não teremos candidato a prefeito, devemos pleitear a vaga de vice-prefeito com quem quiser fazer aliança conosco", defendeu a secretária-geral Maria Coelho.

Com a decisão, será formada uma comissão responsável por negociar com as pré-candidaturas postas no cenário pré-eleitoral as condições para a aliança. Além da vaga de vice, o partido estipulou como prioridade a eleição de vereadores da legenda. "A sociedade se mobilizou na audiência pública para discutir a instalação da fábrica da Suzano no município, no dia seguinte a sessão da Câmara abriu e encerrou sem ter um orador inscrito para debater a questão. Há um descompasso. Mandatos de vereadores petistas, certamente, contribuirão muito para melhorar a realidade política da cidade", defendeu o ex-secretário de Assistência Social, Eduardo Braga.

A comissão negociará com os pré-candidatos e levará para o conjunto do partido os diálogos e os compromissos de cada para que os militantes tomem a decisão democraticamente com base no melhor para a cidade e para o projeto petista no município.


Prazos

O partido decidirá até o dia 10 de junho quem apoiará pra prefeito e sua nominata de candidatos a vereador. Até o final do mesmo mês, a convenção oficial decidirá homologará a decisão e definirá a coligação proporcional.